Tempo dos gentios

By Estudos do Fim

Qual é o tempo dos gentios ?

Que seja p/ a Glória de Cristo Jesus, amém!

 

Estamos nos aproximando de um tempo em que, pela palavra de Deus, Jerusalém será novamente contada a cidade santa - devido às profecias, devido às 70 semanas que sobre ela foram determinadas. É também nesta mesma época que se é contado o tempo dos gentios: quando a cidade, por estar novamente baixo a determinação e vigência das 70 semanas estabelecidas sobre a cidade santa, deverá ser entregue aos gentios para ser pisada; e o santuário profanado. (Apc. 11:2 - Dan. 8:13)

Tal acontecimento dar-se-á precisamente na metade da 70ª semana, ao ser estabelecida a abominação desoladora no lugar santo (através do príncipe que há de vir).

Esta 70ª semana que se iniciará por meio de um Pacto (concerto c/ muitos por 1 semana de anos: 7 anos) terá nos seus primeiros 3 anos e meio não somente a edificação do Santuário em Jerusalém (no seu respectivo lugar) como também o retorno aos sacrifícios diários no templo (o sacrifício contínuo); porém, na metade da semana ele fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares estabelecendo a abominação desoladora: estopim da grande tribulação pelo mundo.

E, a grande tribulação perdurar-se-á por 42 meses, ou por um tempo, tempos e metade de um tempo; ou ainda por precisos 1290 dias (de 24 horas). 

Da qual tribulação - Cristo alerta, dizendo:

"Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação. Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela." Luc. 21:20-21

E:

"Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda; então os que estiverem na Judéia fujam para os montes. Mat. 24:15-16

"Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver." Mat. 24:21

Esses dois eventos: abominação desoladora e cerco a Jerusalém são eventos simultâneos e se cumprem sobre Jerusalém num mesmo instante, estabelecendo a GRANDE TRIBULAÇÃO!

 

Isso se entende pelo fato de Jerusalém, em decorrência das 70 semanas sobre si determinadas, ser contada (na lei e pela profecia) a cidade santa, como também o templo em sua devida localização, o lugar santíssimo; porque, após a deportação dos judeus p/ Babilônica em época de Daniel (tendo sido primeiramente a cidade rejeitada ainda nos dias do rei Josias - II Reis 23:27) pelo Senhor, e posteriormente destruída a Seu mando por Nabucodonosor, restam-se a Jerusalém (cidade santa) e aos judeus, unicamente essas 70 semanas de anos por Deus determinadas; época quando as profecias contam-na a cidade santa; por isso diz: sabe e entende: 70 semanas estão determinadas sobre a tua santa cidade (Jerusalém)...

Porquanto, fora desse demarcado período de 70 semanas, nada esteve escrito ou determinado a acontecer-lhe, pelo Senhor - senão, sua destruição!

Também para se entender isso, basta que olhemos a história; pois após a rejeição dos judeus a Cristo, a única coisa escrita sobre Jerusalém foi sua destruição (ocorrida no ano 70 d.C.); mas quantas e quantas vezes Jerusalém, nos 1900 que se passaram, não foi alvo de disputa, sendo saqueada, invadida e tomada por outros povos?

No entanto, nada do que se ocorrera durante quase dois milênios esteve sob profecia. Porquanto (nesta época) Jerusalém era a cidade rejeitada, e não sagrada; pois unicamente na LEI e/ou durante as 70 semanas que Deus lhe determinara, é que as profecias retratam-na a cidade santa.

Isso significa que Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21 - quando Jesus menciona eventos a se cumprirem sobre Jerusalém - principalmente a abominação desoladora no "lugar santo", não estava a falar da Jerusalém rejeitada após Sua vinda e ida (a qual deveria por profecia ser destruída), mas falava de um porvir, exatamente do tempo contabilizado na profecia pela última semana de anos - a 70ª semana de Daniel 9: em seus respectivos 7 anos de vigência.

É nesta época que todos esses eventos ser-lhe-ão cumpridos; quando a cidade é contada na profecia como a cidade sagrada, e o templo, lugar santíssimo, onde ainda será estabelecida a abominação desoladora (falada por Daniel e por Cristo) estopim da grande tribulação vindoura.

Ou seja, é a abominação desoladora no LUGAR SANTO que estabelece-nos a Grande Tribulação!

 

Por isso, Cristo alerta aos da Judéia (que O crêem) à fuga para os montes: quando Jerusalém for cercada de exércitos (e/ou vista a abominação desoladora no lugar santo). Esses dois eventos se cumprem conjuntamente num mesmo instante: na metade da 70ª e última semana estabelecida sobre Jerusalém e os judeus.

Por isso diz:

"Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação.

Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas.

Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo.

E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem." Luc. 21:20-24

 

 

A Judéia representava toda a região sul de Israel, onde se localizavam várias cidades, entre as quais, Jerusalém, Belém, Hebrom, Arimatéia, Jericó etc.

Então, o Senhor diz-nos que, ao ser Jerusalém cercada de exércitos, saibamos que é chegada a sua desolação (e não o seu livramento, como muitos parecem entender).

Todos esses eventos estão também preditos em Mateus 24 e Marcos 13 (capítulos similares), quando o Senhor cita a abominação desoladora no lugar santo; na qual, o príncipe que há de vir (o assolador - o anticristo) se assentará como Deus, no templo de Deus, como se fora Deus! Nesse evento (e momento) estoura a Grande Tribulação pelo mundo durante 42 meses; ou por um tempo, tempos e metade de um tempo; ou precisamente por 1290 dias. (Dan. 12:11)

 

Ora, para dar uma melhor compreensão e dimensão, quanto a ordem de Cristo à fuga aos montes, a quem na Judéia se encontrar (ou, os que estiverem no campo não voltarem a buscar seus vestidos) quando for vista a abominação desoladora no lugar santo (ou Jerusalém cercada de exércitos).

( coisa não ocorrida na época da destruição de Jerusalém pelo império romano, sob o comando do general romano, Tito, ano 70 d.C. - porque lá houve cerco e destruição da cidade - mas quem se encontrava na Judéia não necessitou-se fugir, porquanto no episódio em questão, só Jerusalém estava a ser atingida ).

Olhemos o que representava a Judéia e Jerusalém (em época de Cristo) para compreendermos a questão:

 

A Judéia está representada (no mapa abaixo) por toda a parte amarelada. Enquanto Jerusalém (que há de ser cercada de exércitos e onde será vista a abominação desoladora) se representa no mapa, pelo pontinho preto de maior destaque, quase no centro desta parte amarela. Ou seja, Jerusalém era apenas uma cidade da Judéia (e a capital).

A abominação desoladora terá seu epicentro em Jerusalém onde será estabelecida, gerando uma perseguição de dentro para fora, num ângulo de 360º - por isso, os da Judéia serão primeiros a fugir p/ os montes - como as ondulações geradas c/ um impacto duma pedra lançada à água; ou como o epicentro dum terremoto, onde tudo ao ser redor é atingido - ocasionando a perseguição vindoura com uma tribulação e aflição tal jamais vista na face da terra, iniciando-se da Judéia (precisamente por Jerusalém) estendendo-se ao mundo inteiro.

 

Mapa de Israel com destaque à Judéia (em amarelo) que na época de Cristo era governada por Pôncio Pilatos:

 

Me climbing Snowdon

 

É nesta mesma época que o Apocalipse 13 diz sobre a besta:

"E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses." (Apc. 13:5)

 

O anticristo: o príncipe que há de vir - verdadeiro assolador (extremamente maligno, muito mais que Nero, Hitler ou Stalin) tomará Jerusalém, e a cidade será pisada; e os judeus cairão ao fio da espada e para todas as nações serão levados cativos e Jerusalém será pisada pelos gentios até que o tempo dos gentios se completem. (Luc. 21:24)

 

E qual é exatamente o tempo dos gentios ???

- É um tempo durante a septuagésima semana - na qual Jerusalém contando-se cidade santa - no entanto há de ser entregue aos gentios para ser pisada.

E o Apocalipse responde por quanto tempo:

"E deixa o átrio que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses." (Apc. 11:2)

 

É também em mesma época que o santuário e o exército serão entregues a fim de serem pisados:

Daniel 8:13-14:

"Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício contínuo, e da transgressão assoladora, para que sejam entregues o santuário e o exército, a fim de serem pisados? E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado."

 

 Daniel 12:11:

"E desde o tempo em que o sacrifício contínuo for tirado, e posta a abominação desoladora, haverá mil duzentos e noventa dias."

 

Em suma: a abominação desoladora não só há de profanar o santuário como também pisar a cidade santa!

 

 

Última atualização 14/08/2017

 

Voltar

Topo