As primeiras 7  semanas

By Estudos do Fim

O que se houve nas primeiras 7 semanas (da profecia) em Jerusalém?

Estudaremos agora um pouco mais sobre a ORDEM da edificação emitida por Ciro: e o porquê de haver-se a primeira subdivisão em 7 semanas (49 anos) assinalada pelo anjo; e o que (segundo a Palavra do Senhor) se daria durante este período - conforme os livros bíblicos e conforme ditara a mesma profecia, a saber: 

Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá 7 semanas (e 62 semanas) as ruas e tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. (Dan. 9:26)

 

 

 Ora, todos sabemos que foram estabelecidas duas subdivisões de: 7 semanas e 62 semanas - entre o período a partir da ordem de se edificar Jerusalém - até o Messias. Mas, o que haveria de suceder nas primeiras 7 semanas para que se acentuasse tal subdivisão, separando essas primeiras (7 semanas) das subseqüentes (62 semanas) determinadas a se cumprirem até o Messias???

Acompanhemos:

 

A Cronologia bíblica:

Considerando-se que Jesus tenha sido crucificado no ano 33 d.C., ou seja, 33 anos após Seu nascimento, conforme a história e o calendário estabelecido aponta, então teríamos que:

A respectiva ordem p/ restaurar e edificar a Jerusalém (na época da libertação dos judeus de Babilônia) teria sido emitida a 450 antes do nascimento de Cristo (Dan. 9:25 – Esd. 1:1-3 - II Cron. 36:22-23); conforme a palavra do Senhor anunciada por boca de Jeremias: Jer. 29:10-14 – Jer. 27:22; e conforme a palavra do Senhor anunciada por Isaías: Is. 44:28 - Is. 45:1-3 - Is. 45:13 - pois conforme o Senhor anunciara - Ciro, rei da Pérsia - mesmo não conhecendo ao Senhor - era quem ordenaria a edificação de Jerusalém e como do Templo e também  libertaria os judeus em cativeiro p/ retorno a  pátria e a Jerusalém.

 

·         7 semanas de anos (são 49 anos).

·         Afinal, do que se trata esse período? E o que haveria de acontecer a seu tempo limite?

·         Por que foram separadas 7 semanas de anos –  das demais 62 semanas, até o Messias ?

 

Acompanhemos o que se ocorre nos primeiros 49 anos (nas primeiras 7 semanas de anos) a partir da ordem da edificação da cidade: Jerusalém.

Após a ordem de Ciro, rei da Pérsia, para que os judeus subissem (de Babilônia) a Jerusalém, a fim de edificarem a casa do Senhor no seu devido lugar (já estavam os judeus do cativeiro sendo libertos nesse edito); e os chefes dos judeus subiram (Esd. 1:4-5); e juntamente c/ eles, vai uma numerosa congregação de 42.360 judeus, afora seus servos, 7.337 (servos); e cavalos, mulos, camelos e jumentos totalizando 8.136 cabeças. (Esd. 2:64-67)

 

Ora, essa subida se ocorre no 1º ano da ordem; e, chegando o 7º mês (do 1º ano) da sua subida a Jerusalém, eles celebram a festa dos tabernáculos (Esd. 3:1), e edificam um altar – Esd. 3:1,3.

E desde o 1º dia desse 7º mês (no 1º ano de sua subida), começaram também os judeus a oferecer o contínuo sacrifício (holocausto contínuo) - sem que se houvesse sequer iniciada a obra da edificação da casa do Senhor (o templo). (Esd. 3:5-6)

 

E a obra do Templo só se iniciaria no segundo mês do 2º ano, da sua subida de Babilônia a Jerusalém. Pois, os judeus só iniciariam a edificação do templo quando põem os fundamentos da casa do Senhor (Templo), e isso, no segundo mês do 2º ano - de sua subida a Jerusalém. (Esd. 3:8,10)

Agora, conforme a palavra do Senhor – a que se referem verdadeiramente as primeiras 7 semanas da profecia (em separado), e o por quê da sua subdivisão (em 49 anos)?

Alguém saberia dizer??

 

Vejamos:

Ora, ela realmente se refere ao que dita a ordem de Ciro, a saber: a EDIFICAÇÃO DA CASA DO SENHOR (e também da própria cidade)!

Ciro, rei persa, ordena tanto por escrito como por pregão a todo o reino: Esd. 1:1-3

E tanto nos dias do rei Ciro, quanto dos reis subseqüentes, os inimigos dos judeus os inquietava na edificação: Esd. 4:1-3 – Esd. 4:4-6

E, após Ciro, no reinado de Artaxerxes (seu sucessor no reino Persa), os inimigos dos judeus escrevem ao rei Artaxerxes, uma acusação contra os judeus, incitado o rei a fim de interrompê-los na obra do templo; então, Artaxerxes ordena a que se interrompa aquela obra; e cessou-se a obra da casa do Senhor até o 2º ano do reinado de Dario (obs: esse Dario era o persa, ou seja, era o 2º rei persa depois de Ciro). Esd. 4:7-24

(Não confundir esse Dario (persa) com o Dario (da nação dos medos), que ocupa o reino em Babilônia, e mata o rei Belsazar. (Dan. 5:30-31)

 

 

Acompanhemos mais os reis persas:

A obra da casa do Senhor acaba-se no 6º ano do reinado de Dario, rei persa, no duodécimo mês, que é o de Adar. (Esd. 6:15)

E o reinado de Dario, o persa, já se completavam (segundo a palavra do Senhor) 3 reis persas a governar a Pérsia:

O primeiro rei: Ciro – é que emite a ordem da edificação do templo e cidade: Esd.1:1-3 – Dan.9:25 – II Cron. 36:22-23

O segundo rei persa: Artaxerxes – é que interrompe a obra do templo: - Esd. 4:7,21,24 – Esd. 6:1-12 – e a obra cessa-se até o 2º ano de Dario - que era o 3º rei.

E o terceiro rei persa: Dario (no 2º ano de reinado) novamente ordena a prosseguir a obra do templo que se houvera iniciado (com Ciro) e se havia interrompido (com Artaxexes), e ele o faz, embasado na ordem da edificação emitida por Ciro. (Esd. 6:1-12)

 

E agora devemos observar que, antecedendo-se à ordem de Dario (no seu 2º ano de reinado), Deus já levantara dois profetas: Ageu e Zacarias a fim de fortalecer os judeus e inspirá-los na edificação/conclusão do Templo: Esd. 5:1-2

E o levante aos profetas Ageu e Zacarias da parte de Deus p/ fortalecerem o povo no edificar, é que levara aos inimigos dos judeus a escreverem nova acusação contra os judeus (agora) ao rei Dario, a fim de (novamente) os impedirem na conclusão daquela obra: Esd. 5:3-17

E foi através dessa nova acusação feita agora a Dario – é que o Senhor os vem novamente a reafirmar e possibilitar a conclusão do templo, c/ a nova ordem de Dario:  Esd. 6:1-12

 

 

O Templo só é concluído no ano 49º desde a ordem (ou seja, após cumpridas as 7 semanas)

E notemos: a obra da casa do Senhor demora-se 46 anos p/ se concluir: João 2:20

Esse verso de João 2:20 - não se refere, como muitos entendem, a qualquer reforma do templo feita por Herodes. O verso se refere a edificação do templo - após ter sido ele derrubado - e não a alguma reforma. Tanto é que no próprio contexto do capítulo 2 do Evangelho de João, Cristo diz aos judeus: "Derribai este templo e em três dias eu o levantarei" (Jo. 2:19)

Ou seja, está-se tratando da derrubada do templo (coisa feita por Nabucodonosor); e que Cristo sugeria que os judeus também o fariam, dizendo: "derribai este templo, e em três dias eu o levantarei". E os judeus rebatem a Cristo, remetendo-se ao tempo de sua última edificação (após ter sido derrubado por Nabucodonosor), dizendo:

"Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias?" (Jo. 2:20)

Ou seja, esse é o tempo que foi gasto por Zorobabel e Jesuá, para levantar o templo e concluí-lo, na época do retorno judaico do cativeiro babilônico - e não alguma reforma feita por Herodes no templo, que nada tinha a ver com a derrubada desse e muito menos do levante do mesmo templo.

Também a reforma de Herodes - segundo Flávio Josefo - ela se deu em apenas em nove anos e meio - este foi o tempo gasto na reforma feita por Herodes conforme o próprio Josefo.

História dos Hebreus: Livro Décimo Quinto - Capítulo XIV - parágrafo 678  itens b,c,d.

 

Vemos que, realmente Deus é quem cuida e se preocupa na conclusão da obra da Casa do Senhor, no tempo limite e determinado na própria profecia, conforme seu decreto, levantando até dois profetas p/ fortalecer e exortar o povo (judeus) na conclusão da OBRA iniciada por decreto tanto de Deus quanto de Ciro (e não fora somente Ciro, ou Dario ou Artaxerxes que a quiseram emitir) senão o próprio Senhor.  Esd. 5:1-2

 

Acompanhemos um pouco mais nos livros de Ageu e Zacarias a conclamação do Senhor ao povo p/ se edificar o templo:

Ag. 1:1-4

No 2º ano de Dario, no 6º mês, veio a palavra do Senhor por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá...

Ag. 1:2-4

"Assim fala o SENHOR dos Exércitos, dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a casa do SENHOR deve ser edificada. Veio, pois, a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, dizendo: Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica deserta?

Ag. 1:7-8

Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos. Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa; e dela me agradarei, e serei glorificado, diz o SENHOR.

Ag. 1:12-15

E no 7º mês, veio novamente a palavra do Senhor a Ageu: Ag. 2:1-4

 

No 2º ano de Dario, no 8º mês, também veio a palavra do Senhor a Zacarias: 

Zac. 1:1-4

Zac. 4:6

Zac. 4:8-9

E a palavra do SENHOR veio novamente a mim, dizendo: As mãos de Zorobabel têm lançado os alicerces desta casa; também as suas mãos a acabarão, para que saibais que o SENHOR dos Exércitos me enviou a vós.

 

E a casa do Senhor acabou-se no 6º ano de Dario (no mês duodécimo) – Esd. 6:14-15

Agora, podemos ficar cientes de que: exatamente no 49º ano - depois da saída da ordem de edificação da casa do Senhor, é que ela foi concluída – e a páscoa pôde ser comemorada aos quatorze do primeiro mês. (Esd. 6:19)

Pois no segundo mês do 2º ano (da vinda dos judeus de Babilônia a Jerusalém) é que a obra se iniciou-se.

E, ao iniciar-se apenas no 2º ano (no segundo mês), somente no ano (segundo mês) é que se completaria 1 ano da edificação. Ou seja, somente no 3º ano (a partir da ordem da edificação, dada por Ciro) é que a obra completaria 1 ano.

Pois, idêntico a uma criança que ao nascer, só completaria 1 ano de vida após se passarem 12 meses completos.

Da mesma forma, se ela nascesse no exato dia do início da obra da casa do Senhor, ela só completaria 1 ano (de vida) no ano seguinte, ou seja, no 3º ano (no segundo mês) a partir da ordem; então, sempre a criança haveria de ter 2 anos a menos (de vida) em relação à saída da ordem; assim, no 3º ano da saída da ordem, é que a criança completaria 1 ano, e a construção idem.

E, se a obra se demorou 46 anos na conclusão, logicamente que só completaria 46 anos no ano 48º (pois sempre a ordem teria 2 anos a mais que a construção), e ela se acabara no mês de Adar, que é duodécimo mês (último mês) do ano 48º (Ester 3:7), ou seja, último mês do ano 48º.

 

E se, o ano 48º (desde a saída dos judeus de Babilônia a Jerusalém) era o último ano da obra, logicamente que, exatamente no ano 49º (desde a ordem) é que a Casa do Senhor estava plenamente concluída; e a respectiva ordem (da edificação) e a referida profecia (demarcando as primeiras 7 semanas) plenamente cumpridas (pois a ordem fora dada para ser executada, e no tempo limite estabelecido), e sobretudo, da parte de Deus, e não apenas do rei persa; e os judeus puderam celebrar a páscoa ao Senhor, conforme Esdras 6:19.

Isso é importante notar - pois a Palavra de Deus acompanha e supervisiona todo este período dos primeiros 49 anos em Jerusalém anunciando os fatos até por meio dos profetas - informando também até os reis persas que se houveram durante o período - e também relata os sumos sacerdotes que cumpriram seu ofícios até a época de Neemias: os quais foram, Josuá (o que sobe de Babilônia c/ Zorobabel e preside durante toda a construção do templo (Nee. 12:1 - Ageu 1:12); depois de Josuá (ou Josué), o sumo sacerdote fora seu filho, Joiaquim (Nee. 12:12 - Nee. 12:10), e depois de Joiaquim (sumo sacerdote) presidiu seu filho, Joasibe (que era o sumo sacerdote nos dias de Neemias (Nee. 12:22 - Nee. 3:1).

 

Vemos a importância da primeira subdivisão profética estabelecida na profecia (das 70 semanas); e como a palavra de Deus acompanha os primeiros acontecimentos que se daria em Jerusalém a partir da ordem de sua edificação, por Ciro, mostrando a mão do Senhor em torno da ordem de Ciro - para que a casa do Senhor se edificasse - levantado até dois profetas.

De forma que assim como Deus levanta Ciro, na Pérsia, para convocar o retorno dos judeus a Jerusalém e ordena a edificação do templo e da cidade – conforme prometera pelos profetas Jeremias e Isaías; se pelo rei persa, se ordenara a edificação; mas foi o mesmo Senhor Quem vigia e cuida a que aquela ordem se cumprisse – conforme estabelecido na própria profecia - e isso por orientação e a mando do Senhor, a saber:

“Sabe e entende: Desde a saída da ordem p/ edificar e restaurar Jerusalém até o Messias, o Príncipe, 7 semanas....”

 

Acompanhemos um pouco mais nos livros de Ageu e Zacarias, para notarmos como a conclusão da obra era importante à profecia e ao Senhor:

O Senhor reclama dos judeus, pelo fato deles estarem satisfeitos por já habitarem suas casas todas já forradas e acabadas, enquanto o Templo permanecia inacabado:  Ageu 1:3-5

Também lhes diz que, da mesma forma que Zorobabel colocara os fundamentos da casa do Senhor, da mesma forma, ele é quem a acabaria; porque o Senhor era c/ ele.

Esd. 3:2                       Zac. 5:11                      Ageu 1:12-15

Zac. 4:9                       Ageu 1:1-8                   Ageu 2:2-4

 

E o Senhor os fortalece c/ sua palavra animando-os (porquanto estavam desesperançosos e completamente sem fé).

 

 

Comentários:

Ora, foi somente no 6º ano de reinado de Dario que a casa do Senhor esteve concluída (e isso no ano 48º depois da ordem de Ciro). E somente após acabar o reinado de Dario, é que, Esdras (recebe permissão do rei Artaxerxes, sucessor de Dario) para subir a Jerusalém. Porque houveram dois Artaxerxes, que reinaram na Pérsia (o que sucedeu a Ciro, e mandou interromper a edificação do templo - e um segundo rei, Artaxerxes, sucessor de Dario), que permitiu Esdras subir a Jerusalém no 7º ano de seu reinado. Esse Artaxerxes era o 3º rei persa após Ciro). Esd. 7:1 – Esd. 7:7

 

  Vemos nas Escrituras, como o Templo exerce importância durante as 70 semanas determinadas sobre Jerusalém e os judeus; e que na 70ª semana da profecia, não será diferente, pois o mesmo templo exerce total influência, de maneira, que é dele que Jesus alude à sua destruição não ficando pedra sobre pedra (em Mateus 24); e também São Paulo aos Tessalonicenses, quando diz que a vinda do Senhor e o nosso encontro c/ Ele nos ares não se daria antes de vir a apostasia e se manifestar o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se assentará no Templo de Deus, como se fora Deus, querendo parecer Deus - tal evento se dará precisamente na metade da 70ª semana, quando for vista a abominação desoladora no lugar santo, estourando a Grande Tribulação. (Mat. 24:15,21)

 

E podemos saber que a 70ª e última semana da profecia de Daniel 9 se inicia através de um concerto – conforme profetizado:

“E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.” (Dan. 9:27)

 

Esse CONCERTO referido na profecia da 70ª semana realmente deverá referir-se à ORDEM da EDIFICAÇÃO do Templo do Senhor, em Jerusalém (hoje), no seu devido lugar, pois a cidade já está novamente edificada – e o Estado de Israel (após 1900 anos de inexistência, veio a existir em 1948 - e os judeus que estavam dispersos pelo mundo cumprindo exílio de quase dois milênios, hoje, já possuem a mesma nação e a mesma capital, Jerusalém, faltando somente uma coisa p/ se completar o mesmo quadro profético da época do retorno dos judeus a Jerusalém, na época de Esdras, bem como na época de Cristo, a saber: o Templo e seus rituais estabelecidos na lei, e as celebrações em Jerusalém no Templo, desde quando foi erguido sob a mesma orientação do Senhor: p/ a realização do sacrifício contínuo (holocausto contínuo) estabelecido no Monte Sinai, no Êxodo.

 

E no verso de Daniel 9:27 sobre a 70ª semana diz que:

 Após um Concerto de 1 semana, “ele”, na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares;  e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isto, até a consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.

 

 

Algumas considerações e conceitos, e seus significados:

As 70 semanas – Na profecia não foi determinada a não existência do templo durante a sua duração e vigência, e não foi determinado que sua importância não tivesse igual valor.

 

Sobre a 70ª semana - Daniel 9:27:

o Concerto = pacto

1 semana = 7 anos = (2556 dias) – contando-se naturalmente c/ 1 ano bissexto. (Lev. 25:8)

metade da semana = metade de 7 anos = 3 anos e meio = (1278 dias depois do Concerto).

sacrifício e oferta de manjares = é o sinônimo de holocausto contínuo ou sacrifício contínuo (são os sacrifícios de cordeiros oferecidos ininterruptamente no Templo todas as tardes e manhãs, estabelecido na Lei no Sinai – por isso mesmo denominado de holocausto contínuo). (Exodo 29:38-42 – Num. 28:3-8)

assolador = homem que está determinado pela profecia, a vir assolar Jerusalém (exatamente na 2ª metade da 70ª semana) – é o príncipe que há de vir (cujo povo destruiu a cidade em 70 d.C) – é o anticristo.

consumação = é o término = o fim dos séculos.

“e o que está determinado será derramado sobre o assolador” – Ora, o que está determinado a vir sobre o assolador ???

 

Eis o que está determinado:

“E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;“ (II Tes. 2:8)

“E pelo seu entendimento também fará prosperar o engano na sua mão; e no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem em segurança; e se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas sem mão será quebrado.” (Dan. 8:25)

 

A determinação a se cumprir sobre o assolador (após ele ter assola o mundo e a Jerusalém), é: ser quebrado “sem mão” pelo Príncipe dos príncipes – ou seja, pela Pedra (do sonho de Nabucodonosor em Daniel 2) lançada “sem mão” a qual atingirá a estátua (que representa os impérios mundiais), nos seus pés, esmiuçando-a: a Vinda do Senhor!  

 

 

Paz!

 

 

Voltar

Topo


|Anterior | Próxima |